Página Inicial Regiões Municipios
CHUVAS - Clique nos links abaixo para entrar nas páginas:







    • REGIME ANUAL E ESTACIONAL DE CHUVAS NO RIO GRANDE

    • DO SULRONALDO MATZENAUER1,
      DENILSON RIBEIRO VIANA2,
      ARISTIDES C. BUENO3,
      JAIME R. T. MALUF4,
      CAMILA B. CARPENEDO51Eng.
      Agrônomo, Doutor, pesquisador do Centro de Meteorologia Aplicada - Fepagro/SCT. Rua Gonçalves Dias, 570, 90130-060. PortoAlegre, RS. Bolsista do CNPq2Geógrafo, bolsista do projeto zoneamento, Centro de Meteorologia Aplicada - Fepagro/SCT3Eng. Agrônomo, Bs., pesquisador do Centro de Meteorologia Aplicada - Fepagro/SCT,4Eng. Agrônomo,M.Sc., pesquisador do Centro de Meteorologia Aplicada - Fepagro/SCT,5Estudante de Geografia da UFRGS, bolsista do projeto Geosafras, Centro de Meteorologia Aplicada - Fepagro/SCTApresentado no XV Congresso Brasileiro de Agrometeorologia – 02 a 05 de julho de 2007 –Aracaju – SERESUMO: Este trabalho teve como objetivo caracterizar o regime de chuvas no Rio Grandedo Sul, utilizando uma série atualizada de dados de 24 estações meteorológicas distribuídasnas diferentes regiões ecoclimáticas, para o período 1976-2005. A metade Norte do estadoapresenta maior vol
      ume anual de chuvas quando comparado com a metade Sul. Em algumasregiões da metade Norte o volume de chuvas ultrapassa 1900 mm anuais, enquanto que nametade Sul, algumas regiões apresentam volumes inferiores a 1400 mm, caracterizando,portanto, uma variabilidade espacial significativa. A primavera é a estação do ano queconcentra o maior volume de chuvas na metade Norte do estado, com valores superiores a 550mm em parte da região, enquanto que o menor volume de chuvas ocorre na estação deinverno, nas regiões da Campanha e Baixo Vale do Uruguai, com valores inferiores a 250mm.PALAVRAS-CHAVE: precipitação pluvial, distribuição espacialANNUAL AND SEASONAL REGIMEN OF RAINFALL IN RIO GRANDE DO SULSTATE, BRAZILABSTRACT: The aim of this work was analyze the annual and seasonal regimen of rainfallin Rio Grande do Sul State, Brazil, utilizing data of 24 meteorological stations distributions indifferent climatic regions, for the period 1976-2005. The North of the State present higherannual volume of rainfall w
      hen compared whit South of the state. In some regions of theNorth, the quantity of rainfall is superior as 1990mm in the year, while in some regions of theSouth, the quantity of rainfall is small that 1400mm, characterizing variability in spatialdistribution. The spring is the season of the year where occur the higher volume of rainfall inNorth of the state, with values of 550mm or more in some regions, while minor quantity occurin the winter season in some regions, whit values below of 250mm.KEY WORDS: pluvial precipitation, spatial distribution
      ------------------------------------------------
      Page 2
      INTRODUÇÃO: O clima predominante no Estado do Rio Grande do Sul, conforme aclassificação climática de Köppen, é do tipo climático “Cfa”, temperado com chuvasregularmente distribuídas durante o ano e com verões quentes. Este tipo climático ocorredevido à localização subtropical do estado, situado entre os paralelos 33º45’03”S, no extremosul e 27º04’49”S no extremo norte (BRASIL, 2001). A distância latitudinal não é grande osuficiente para permitir uma diferenciação climática maior, excetuando-se o efeito de altitudedo Planalto Superior e Serra do Nordeste, onde ocorre a variante “Cfb” – mais fria,encontrada acima da cota de 800 m, aproximadamente. A precipitação média anual no RSvariava de 1.162 mm, na localidade de Rio Grande, a 2.162 mm em São Francisco de Paula,no período de 1931a1960 (IPAGRO, 1989). Já na série 1961-1990, os valores ficavam entre1.191 mm em Santa Vitória do Palmar e 1.972 mm em São Luiz Gonzaga (BRASIL, 1992).Este trabalho teve como objetivo fazer uma análise atualizada do regim
      e de chuvas noEstado do Rio Grande do Sul, utilizando a média do período mais recente, compreendidoentre 1976-2005.MATERIAL E MÉTODOS: Foram utilizados dados de precipitação pluvial de 24 estaçõesmeteorológicas, pertencentes à rede da Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária –FEPAGRO, da Secretaria da Ciência e Tecnologia do Estado do Rio Grande do Sul e do 8ºDistrito de Meteorologia do Instituto Nacional de Meteorologia – 8º DISME/INMET, doMinistério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.Os dados foram calculados a partir dos valores mensais acumulados de precipitação dasestações meteorológicas. A Figura 1 ilustra a distribuição das estações no Estado do RS.As estações localizam-se emAlegrete (1), Bagé (2), Bom Jesus (3),Caxias do Sul (4), Cruz Alta (5),Encruzilhada do Sul (6), Irai (7),Lagoa Vermelha (8), Passo Fundo (9),Pelotas (10), Porto Alegre (11), RioGrande (12), Santa Maria (13), SantaRosa (14), Santa Vitória do Palmar(15), Santana do Livramento (16), SãoBorja (17), São Gabriel (18),
      São LuizGonzaga (19), Soledade (20), Taquari(21), Torres (22), Uruguaiana (23) eVacaria (24).57°W54°W51°W33°S31°S29°S123456789101112131415161718192021222324Figura 1: Distribuição das estações meteorológicas no RS.RESULTADOS E DISCUSSÃO: A análise da precipitação pluvial ocorrida no Estado doRio Grande do Sul no período de 1976 a 2005, mostra que na metade Norte do estado,ocorrem os maiores volumes anuais de chuvas quando comparado com a metade Sul. NaFigura 1 verifica-se que uma isoieta de 1600mm corta o estado de leste a oeste, próximo àlatitude central do Rio Grande do Sul (30ºS), com valores superiores ao norte e inferiores aosul. Em algumas regiões da metade Norte o volume de chuvas ultrapassa 1900 mm anuais,como ocorre em parte da região do Alto Vale do Uruguai. Na metade Sul, ao contrário,
      -----------------------------------------------
      Page 3
      algumas regiões apresentam volumes inferiores a 1400 mm, como por exemplo no extremosul do estado, caracterizando, portanto, uma variabilidade espacial significativa nadistribuição da precipitação pluvial no Rio Grande do Sul. A primavera é a estação do ano queconcentra o maior volume médio de chuvas na metade Norte do estado, com valoressuperiores a 550 mm em parte da região do Planalto Médio (Figura 2). Os menores volumesde chuvas são observados na estação de inverno, nas regiões da Campanha e Baixo Vale doUruguai, com valores inferiores a 250mm nos três meses.CONCLUSÕES: A análise da precipitação pluvial no período 1976 a 2005, no Rio Grandedo Sul, permite concluir:A região Norte do estado é mais indicada para o estabelecimento de culturas anuais de grãosde primavera-verão, com maior exigência em água, considerando o maior volume médio dechuvas que se observa na região; a região sul do estado é mais indicada para oestabelecimento de culturas anuais e perenes, que requerem menor quantidade de águ
      a para oseu desenvolvimento; na região sul, o risco por déficit hídrico é maior; considerando-se omaior volume de chuvas que ocorre na primavera na região Norte, recomenda-se aantecipação da semeadura das culturas de primavera-verão, visando reduzir os riscos pordéficit hídrico.AGRADECIMENTOS: Os autores agradecem aos pesquisadores, técnicos, observadoresmeteorológicos, estagiários e demais pessoas que contribuíram para a realização destetrabalho. Ao 8º DISME/INMET e à FEPAGRO pelos dados.REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASBRASIL. 1992: Ministério da Agricultura e Reforma Agrária. Secretaria Nacional deIrrigação. Departamento Nacional de Meteorologia. Divisão de Meteorologia Aplicada.Normais Climatológicas (1961-1990). Brasília: SPI/EMBRAPA. 84 p.BRASIL. 2001. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Instituto Brasileiro deGeografia e Estatística. Anuário Estatístico do Brasil – 2001. Rio de Janeiro: IBGE, 1 CD-ROM.IPAGRO. 1989: Instituto de Pesquisas Agronômicas. Seção de Ecologia Agrícola. AtlasAgr
      oclimático do Estado do Rio Grande do Sul. Porto Alegre. 3 v.
      ----------------------------------------------
      Page 4
      Figura 1. Regime anual de chuvas no Rio Grande do Sul. Período 1976 – 2005.57ºW54ºW51ºW33ºS30ºSPrecipitação (mm)120013001400150016001700180019002000N
      ---------------------------------------------
      Page 5
      a. Verãob. Outonoc. Invernod. PrimaveraFigura 2. Regime estacional de chuvas no Rio Grande do Sul. Período 1976 – 2005.a. verão; b. outono; c. inverno; d. primavera.57ºW54ºW51ºW33ºS30ºSPrecipitação (mm)200250300350400450500550600N57ºW54ºW51ºW33ºS30ºSPrecipitação (mm)200250300350400450500550600N57ºW54ºW51ºW33ºS30ºSPrecipitação (mm)200250300350400450500550600N57ºW54ºW51ºW33ºS30ºSPrecipitação (mm)200250300350400450500550600N





















    • Portal

    • Clique no link acima para ir para a página
      . de Nivel Nacional